segunda-feira, 30 de abril de 2018

ANGEL'S FIRE - O Conto



Ano: 2018
Tipo: Full Length
Nacional


Tracklist:

1. O Conto
2. Anjo de Luz
3. Sacrifício
4. Guardião
5. Além do Horizonte
6. Meu Desejo
7. Novo Reino
8. Pensamentos em uma Linda Noite
9. Tonight
10. Angel’s Fire
11. Meu Desejo (playback)


Banda:


Priscila Lira - Vocais
Israel Lira - Guitarras
Italo Liano - Teclados
Saymo Roberto - Baixo
Andre Lima - Bateria


Ficha Técnica:

Nenel Lucena - Produção, vocais adicionais em “Meu Desejo” e “Angel’s Fire”


Contatos:

Site Oficial:
Assessoria: https://www.facebook.com/LexMetalisAA/ (Lex Metalis Assessoria e Agenciamento)


Texto: Marcos Garcia


De uns anos para cá, o Meta sinfônico tem dado uma caída em termos de popularidade. Este autor se arroga o direito de fazer tal afirmativa baseado no número cada vez menor de bandas dedicadas ao estilo. Mas isso, por outro lado, é bom, já que o desgaste pelo uso cede um pouco. E o quinteto pernambucano ANGEL’S FIRE, de Recife, faz bonito demais em seu primeiro álbum, “O Conto”.

Belas orquestrações, vocal feminino afinado e melodioso (e que timbres legais), ótimo trabalho das guitarras tanto nos riffs quanto nos solos (em uma época em que este recurso tem se tornado cada vez menos utilizado), solidez coesa de baixo e bateria, teclados fazendo orquestrações vibrantes, tudo em seus devidos lugares e nas melhores proporções possíveis. Ótimas melodias, boa dose de energia e um trabalho fascinante, que nos seduz, embora não seja algo realmente novo. Mas garanto: é ouvir e gostar.

Em termos de produção, a sonoridade está muito boa, e diferentemente dos grandes nomes do estilo, o quinteto optou por algo mais cru em termos de guitarras e baixo, tornando tudo mais pesado. Mas não se preocupem: as melodias estão intactas, bem como o alinhavo etéreo dos teclados está ótimo. Tudo nos devidos lugares, e em bom nível. E a arte da capa é muito bonita.

Um trabalho muito bem feito em termos de arranjos é o que o grupo nos traz em “O Conto”. Existe muito de NIGHTWISH, EPICA e outros nomes permeando o trabalho do quinteto, mas sem que o ANGEL’S FIRE seja uma cópia destes. É bem maduro, mesmo sendo o primeiro disco deles, e digamos de passagem: como eles sabem criar melodias de fácil assimilação por nossos sentidos. E mesmo cantando em português, a dicção e métrica não são afetadas.

Basicamente, o grupo nos brinda com 9 canções ótimas, mas se destacam as melodias elegantes de “Anjo de Luz” (que lindos teclados e vocais), a pegada mais pesada e densa das guitarras em  “Sacrifício”, a técnica mais bem trabalhada de baixo e bateria em “Além do Horizonte” (que refrão maravilhoso), as nuances atmosféricas criadas pelos teclados em “Meu Desejo” e no Power Metal sinfônico de “Novo Reino”, a beleza sutil e introspectiva de “Pensamentos em uma Linda Noite” (como essa moça canta bem), e a pegada aveludada e pesada de “Angel’s Fire” (uma das duas únicas canções cantadas em inglês do disco). Mas lembrando: “O Conto” funciona como um todo, logo, melhor que ouçam todas as canções.

Antes de encerrar, gostaria de ser bem claro: a banda sofreu certa resistência por parte de alguns veículos por terem temática cristã. Óbvio que todos possuem direito de se expressar como bem entenderem, por isso, o Heavy Metal Thunder não compactua com pensamentos radicais. O mais importante é a música, e isso, o ANGEL’S FIRE tem mais que muito grupo capirotesco por aí.

Tem tudo para ser considerado como uma das revelações de 2018.


Nota: 87%