segunda-feira, 9 de abril de 2018

OUTLAW - Path to Darkness


Ano: 2018
Tipo: Full Length
Nacional


Tracklist:

1. Intro
2. Darkness Corners
3. Path to Darkness
4. Mahapralaya
5. Death Blow
6. Kali Yuga
7. Cursed Blood
8. The Somberlain (Dissection Tribute)


Banda:


D. - Guitarras, vocais
B. - Baixo
C. - Bateria


Ficha Técnica:

Daniel Souza - Produção, mixagem, masterização
Marcelo Augusto - Artwork (capa)
Heverton Souza - Vocais e backing vocals em “Kali Yuga”
Paulo Furtado - Guitarra base em “The Somberlain”


Contatos:

Site Oficial:
Twitter:
Youtube:
Instagram:
Google+:
Assessoria:

E-mail:

Texto: Marcos Garcia


Todos sentem falta de uma banda ou período específico de tempo. É algo associado ao momento que passamos com lembranças carinhosas e que ficam associados à música que um determinado grupo fez ou faz. E assim, uma banda jovem pode se erguer e levar o legado de outra que acabou adiante, sem soar como uma cópia. E o trio paulista OUTLAW se encaixa bem nessa definição, como se pode ouvir em seu primeiro álbum, “Path to Darkness”, que a Heavy Metal Rock acaba de pôr nas lojas.

O grupo foca suas energias na criação de um Black/Death Metal soturno e construído com excelentes melodias, e mesmo partes limpas e introspectivas surgem em alguns momentos. Óbvio que esta descrição nos mostra que uma das maiores influências deles é o finado DISSECTION, sem que o trabalho do grupo soe como uma cópia. Longe disso. Existe a influência, mas existem nuances musicais em “Path to Darkness” que eles têm personalidade forte. E se chegam com um disco de estréia nesse nível, o futuro é promissor.

Sim, mesclando melodias soturnas com agressividade, o OUTLAW mostra que é um nome que veio para ficar.

A produção tem sua dose de crueza orgânica evidente, sem que se perca a noção de clareza musical. Essa sonoridade mais crua resgata aquela velha atmosfera de meados dos anos 90, mas sem negar que é um disco gravado recentemente. Tudo busca ser o mais visceral e próximo do feeling “ao vivo” possível, mas mesmo assim, com um resultado muito bom, com suas doses certas de peso e clareza musical. E a arte é realmente bem simples, com capa em preto e branco, encarte com as mesmas cores, e fotos em tons escuros de preto, branco e cinza. Realmente, bem raiz mesmo.

Pode-se dizer que o OUTLAW tem um trabalho realmente muito bom, e não deixa aquele Death/Black Metal melodioso e bem arranjado dos anos 90 se perder nas areias do tempo. E realmente eles mostram que vieram não para serem imitadores do DISSECTION, mas para resgatar essa sonoridade tão preciosa, e sem que percam sua personalidade no processo. E se preparem, pois mesmo alguns solos de guitarra bem melodiosos (recurso pouco usado pelas bandas do gênero) estão presentes.

“Path to Darkness” é um disco maravilhoso, que mostra vitalidade e energia de sobra. E canções como a bem trabalhada “Darkness Corners” com suas melodias soturnas (e que guitarras de primeira), os tempos mais soturnos e fúnebres de “Path to Darkness” (baixo e bateria mostram um trabalho bem interessante) e “Mahapralaya” (os vocais realmente são bem encaixados), as belas melodias de “Death Blow” e “Kali Yuga” (os contrastes dos vocais são ótimos, sem mencionar os riffs simples e certeiros). Mas além delas, a versão do grupo para o hino “The Somberlain” está perfeita, sem descaracterizar a original, mas pondo uma vibração toda deles na canção.

Verdade seja dita: “Path to Darkness” vem para mostrar que o OUTLAW ainda tem muito para render. E que por estarem rebuscando um estilo que está tão fora de voga, merecem aplausos, pois mostram que podem ser criativos sem serem originais.

Ótima banda.

Nota: 83%