segunda-feira, 18 de junho de 2018

THE DEAD DAISIES - Burn It Down


Ano: 2018
Tipo: Full Length
Nacional


Tracklist:

1. Resurrected
2. Rise Up
3. Burn It Down
4. Judgement Day
5. What Goes Around
6. Bitch
7. Set Me Free
8. Dead and Gone
9. Can’t Take It with You
10. Leave Me Alone
11. Revolution (cover do THE BEATLES)


Banda:


John Corabi - Vocais
David Lowy - Guitarra base
Doug Aldrich - Guitarra solo
Marco Mendoza - Baixo
Deen Castronovo - Bateria


Ficha Técnica:

Marti Frederiksen - Produção
Anthony Focx - Mixagem
Howie Weinberg - Masterização
Sebastian Ronde - Arte da capa, design, artwork


Contatos:

Assessoria:

E-mail: tdd@mrange.de

Texto: Marcos Garcia


Quando se falar em Classic Rock (ou Hard Rock), poucas bandas jovens podem dizer que têm o estilo no sangue. Esse estilo requer profundo conhecimento de causa, e nisso, verdade seja dita: o quinteto THE DEAD DAISIES é imbatível. E o novo disco da banda, “Burn It Down”, vem para comprovar isso. Ainda bem que a Shinigami Records lançou mais esta joia do grupo por aqui.

O quarto trabalho de estúdio da banda tem uma novidade: nas baquetas está o lendário Deen Castronovo, conhecido músico que já passou pelo JOURNEY e pelo BAD ENGLISH. E musicalmente, a banda continua destilando aquele Hard Rock vigoroso e sujo, cheio de ótimas melodias de simples assimilação, refrãos muito bem construídos (bateu no ouvido, gamou, simples assim), e uma musicalidade que embora não prime pela técnica, é ótima. A única coisa que soa diferente aos seus discos anteriores é que o grupo parece ainda mais coeso, e sabendo usar muito bem o talento individual de cada um de seus músicos.

Em termos de sonoridade, o grupo mais uma vez soube manter os elementos de sua música exclusivamente nos instrumentos, usando uma gravação clara e que consegue captar o feeling de suas músicas. Óbvio que está denso e pesado, mas muito bem definida em termos de instrumentos. Nada soa excessivamente sujo ou excessivamente polido, tudo na medida certa. Além disso, a arte gráfica da banda, como sempre, pega os elementos visuais mais clássicos do gênero e cria algo que é a cara do quinteto: despojado e livre de concepções comerciais.

O THE DEAD DAISIES é algo arrasador quando se ouve, pois a espontaneidade de suas canções é evidente, algo descompromissado. E justamente por ter todo esse carrego setentista, livre de grandes ideias revolucionárias, que é apaixonante. Esse Hard Rock clássico, preenchido de influências bluesy (muito graças aos vocais de John), ganha uma roupagem nova, e soa com vida e energia sempre.

Não, não tem como destacar uma música ou outra como “as melhores”. O grupo parece ser capaz de gerar músicas excelentes de forma infinita!

As belas melodias setentistas de “Resurrected” (reparem nos solos carregados de “wah-wah” e puro feeling), o peso selvagem e ritmo denso de “Rise Up” (como a base rítmica está pesada, e com boa técnica em termos de baixo e bateria, e que refrão maravilhoso), o jeitão bluesy à lá Mississipi de algumas partes de “Burn It Down” (até hoje, nunca entendi como o MOTLEY CRUE não ficou com John, pois como a voz dele é cheia de nuances fenomenais), o feeling intimista sedutor que se alterna com momentos agressivos em “Judgement Day” (uma aula de espontaneidade, com riffs e solos são fantásticos), a psicodelia pesada e opressiva dos tempos de “What Goes Around”, o ritmo quase tribal e de simplicidade técnica de “Bitch”, as passagens mais carregadas de melancolia bluesy “noir” de “Set Me Free” (sim, eles sabem usar muito bem esse recurso, e temos uma balada linda, bem construída e cheia de melodias de primeira, com os vocais dando um sabor especial à canção), a fogosa e com aquele jeitão AC/DC “Dead and Gone” (ou seja, uma energia sem tamanho criada por uma música simples), o murro Hard Rock à lá LED ZEPPELIN de “Can’t Take It With You”, e a destruidora de tímpanos “Leave Me Alone” (um hardão colossal, com uma energia absurdamente empolgante, apoiado em uma base rítmica pesada, guitarras densa e vocais de primeira). E, além disso, a versão nacional ainda nos trás o Hard ‘n’ Roll grudento que o quinteto fez de “Revolution”, canção do THE BEATLES.

Do jeito que o THE DEAD DAISIES é, vai ser mais fácil a banda acabar do eu lançarem um disco ruim, então aproveitem “Burn It Down”, ouvindo no volume máximo!

Nota: 100%