segunda-feira, 18 de junho de 2018

LYRIA - Immersion


Ano: 2018
Tipo: Full Length
Selo: Independente
Nacional


Tracklist:

1. Follow the Music
2. Get What You Want
3. Let Me Be Me
4. The Rain
5. Give You Just a Minute
6. Best of Me
7. Last Forever
8. Hard to Believe
9. Something is Rotten
10. Ashes of My Fears
11. Run to You


Banda:


Aline Happ - Vocais
Rod Wolf - Guitarras
Thiago Zig - Baixo, vocais adicionais em “Get What You Want”, “Let Me Be Me”, e “Ashes of My Fears”


Ficha Técnica:

Marcelo Oliveira - Gravação, produção, mixagem, masterização, arranjos das orquestrações e corais, guitarras adicionais em “Last Forever”, violão em “Run to You”, programação de bateria, orquestrações
Aline Happ - Design do encarte, fotografia (contracapa)
Patrick Happ - Fotografia (capa)
Roberta Guido - Fotografia


Contatos:

Assessoria: http://orbecomunicacao.com/ (OrBe Comunicação)

Texto: Marcos Garcia


O Rio de Janeiro, embora cm um cenário distante do que já foi um dia em termos de público, ainda é um celeiro relevante para o Metal nacional, com ótimas bandas surgindo todos os dias, e com as antigas mostrando evolução constante. E um nome que realmente evoluiu muito é o do LYRIA, grupo carioca de Symphonic Metal. Se o primeiro disco, “Catharsis”, dava sinais que um talento estava surgindo na terra do Sol escaldante e praias, em “Immersion”, recém-lançado segundo álbum deles, isso fica ainda mais nítido.

Basicamente, a palavra que se poder aferir ao grupo nesse segundo trabalho é “profissionalismo”.

Em tudo, “Immersion” transpira que cada aspecto do trabalho musical deles foi talhado tendo em mente o profissionalismo de seus integrantes, sem que se perca a espontaneidade. E podemos dizer que o grupo trouxe para suas linhas melódicas os timbres instrumentais pesados e agressivos do Metal moderno, que não descaracterizaram sua canção, mas lhe deu maturidade. Sem querer fazer comparações (o que não seria justo com o grupo), este segundo disco vai nos trazer à mente a formulação que o NIGHTWISH usou em “Century Child” e “Once”, ou seja, melodias sinfônicas pesadas com a agressividade moderna da época. E isso dá à música deles uma energia imensa, sem que a elegância seja perdida, e continua sendo algo extremamente sedutor aos ouvidos.

Direto e reto: “Immersion” é um passo adiante na carreira do grupo.

A produção realmente caprichou em tudo. Tudo se ouve e se entende em “Immersion” sem problemas ou maiores esforços, sem falar que a escolha de timbres instrumentais ficou excelente. É uma sonoridade pesada e densa, mas esteticamente clara, que permite as melodias evoluírem e nos envolverem completamente. Além disso, a capa do trabalho ficou caprichada, elegante e muito bem feita, dando a ideia ao ouvinte do que o aguarda ao ouvir o disco.

O fato é que o LYRIA se faz um grupo profissional, que faz um trabalho musical visando ser assim. Não gastam o tempo deles reclamando das vicissitudes do circuito Metal brasileiro, mas focam suas energias criativas na música em si. Por isso, tudo que se ouve nesse álbum tem um toque extra de bom gosto. E sim, como eles souberam arranjar seu trabalho de forma minimalista, mas sem que aquele jeito espontâneo (que é imprescindível) seja obliterado. É Symphonic Metal com um “q” de ecleticismo em termos de Metal, pois existem alguns vocais urrados e momentos influenciados por estilos mais extremos.

O grupo desfila 11 composições muito bem feitas, que merecem ser apreciadas em sua totalidade (o que demanda mais de uma simples audição, embora a música deles não seja difícil de ser assimilada). Mas se destacam a beleza encorpada e densa de “Follow the Music” (belos arranjos de corais, sem mencionar que esses vocais macios e bem postados nos embalam), a pegada mais agressiva e cheia de mudanças rítmicas de “Get What You Want” (os contrastes entre partes mais introspectivas e outras mais pesadas é ótimo, ajudando a perceber que o baixo está muito bem, e se ouvem vocais mais agressivos contrastando com os limpos), o groove intenso e moderno que permeia “Let Me Be Me” (percebam como o grupo realmente investe pesado em termos de elegância, com teclados fazendo um fundo melódico de primeira, sem falar nos solos de guitarra), as belas passagens de teclados e melodias mais simples de “Best of Me” (há certo feeling acessível na canção, e é justamente ele que faz essas melodias agarrarem em nossos ouvidos e não saírem mais), as linhas melódicas e estruturação musical de “Last Forever”, o jeito mais pesado e direto de “Something is Rotten”, e a beleza terna de “Run to You”. Mas o disco inteiro é uma mostra de bom gosto e talento, logo, podem ouvir de ponta a ponta sem medos.

“Immersion” abre um novo caminho para o LYRIA, logo, aproveitem e deixem emergir pela música deles.

O disco já se encontra nas plataformas digitais:

Spotify: https://open.spotify.com/artist/2IeoYHbIvFxDInNLHFt0XQ
iTunes: https://itunes.apple.com/us/artist/lyria/510168369?mt=11

Nota: 91%