sexta-feira, 13 de julho de 2018

AXECUTER - A Night of Axecution


Ano: 2018
Tipo: CD ao Vivo
Nacional


Tracklist:

1. Intro
2. Attack
3. Raise the Axe
4. Creatures in Disguise
5. The Axecuter
6. No God, No Devil (Worship Metal)
7. Bangers Prevail
8. Missão Metal
9. Creatures in Disguise (Official Video Clip)


Banda:


Danmented - Guitarras, vocais
Rascal - Baixo, backing vocals
Verdani - Bateria


Ficha Técnica:

Maiko Thomé - Mixagem
Danmented - Mixagem
Mano Mutilated - Arte da capa
Tersis Zonato - Design do encarte


Contatos:

Site Oficial:  
Assessoria: http://www.sanguefrioproducoes.com/artistas/AXECUTER/24 (Sangue Frio Produções)

Texto: M. Garcia


Por mais que existam ressalvas ao jeito que a coisa tem sido feita em todo mundo, fazer Metal à moda antiga é algo real, e todos têm que conviver com isso (seja por bem ou por mal). Esse “revival” não é ruim, existem bandas que realmente são muito boas, mas existem aqueles que somente querem refazer o que alguém refez sem pôr nada de si na música. Estes últimos são apenas bandas cover não assumidas, ou trocando em miúdos, plagiadores, clones ou qualquer outra definição para alguém sem personalidade própria. Mas há aqueles que buscam (com a paixão pela velha fórmula de se tocar Metal) colocar algo pessoal na música, e aglutinam valor. Este é o caso do AXECUTER, trio de Curitiba (PR), que após um álbum, alguns Splits e EPs, nos concede seu primeiro disco ao vivo, “A Night of Axecution”.

O trabalho do trio é focado em fazer o que podemos definir como Proto-Thrash Metal europeu da primeira metade dos anos 80, ou seja, aquela sonoridade mais crua de bandas de Thrash Metal da Alemanha (quando o estilo nem era denominado assim). Traduzindo: temos a vibração e energia de bandas como DESTRUCTION, SODOM e KREATOR em sua fase mais inicial, mixada a algo das melodias de nomes da escola canadense como EXCITER. Óbvio que eles possuem um talento bem grande, e que fica evidente nas versões ao vivo de suas canções.

Sim, “A Night of Axecution” é um disco muito bom, justamente porque ao vivo, suas canções soam bem melhor que em estúdio e ganham vida.

A alma do disco repousa na qualidade sonora. Ela ficou muito boa, e a mixagem nos permite entender o que eles estão tocando, sem extrair da banda o clima “live”, o que excessivas edições e “overdubs” acabam causando. Aliás, é justamente pela busca de algo fiel ao que se vê nos shows que ficou tão bom. Honestidade não tem preço.

Na arte gráfica, mais uma vez vemos a paixão pelos anos 80 sendo saciada, pois as imagens foram disponibilizadas como nos antigos discos ao vivo (e em muitos de estúdio) do passado.

Se os discos de estúdio da banda poderiam ter uma sonoridade melhor (não estou dizendo para usarem infinitas edições digitais ou modernizarem seu som, apenas que, mais uma vez, algo como Joel Grind faz no TOXIC HOLOCAUST e em outras bandas do mesmo estilo encaixaria como uma luva no trabalho deles), a crueza em “A Night of Axecution” ficou muito boa, deu uma vida diferente ao trabalho deles. Além disso, se percebe que eles se comunicam bem com o público, e que possuem uma energia ao vivo realmente cativante.


“Attack” e sua ótima, dinâmica entre o instrumental e os vocais, o jeitão mais melodioso e cativante de “Creatures in Disguise” (que não foi escolhida para vídeo de divulgação à toa, pois é ótima), a forte e clássica “The Axecuter” (outra em que a energia vai nas alturas, com um trabalho ótimo de baixo e bateria), o ataque de riffs de primeira de “Bangers Prevail” e a versão deles para “Missão Metal” do FLAGELADÖR (que ganhou uma vida diferente e mais ganchuda que a original) são os destaques. Só gostaria de entender porque fizeram um disco tão curto, pois valia colocarem mais umas 5 canções em “A Night of Axeution”. E isso sem mencionar que ainda temos o vídeo oficial para “Creatures in Disguise” no CD, o que nos permite assistir com mais comodidade e qualidade.

Poderíamos aferir que o AXECUTER é um dos nomes mais fortes dessa vertente no Brasil. Amem, odeiem, ou pensem como desejarem, mas “A Night of Axecution” vem coroar o bom momento que a banda está passando.

Parabéns!

Nota: 88%