segunda-feira, 16 de julho de 2018

SUFFOCATION OF SOUL - Macabre Sentence


Ano: 2018
Tipo: Extended Play (EP)
Selo: ABC Terror, Inffernus Productions, Caótica Discos, Violent Records, A Fronteira Produções, Burn Records, The Metal Vox, Resistência Underground, Headcrusher Productions, Psicose Records, Paracusia Distro, Holy Terror Records
Nacional


Tracklist:

1. Crimes Behind the Influence
2. Lifeinvader
3. We Live in Pandemonium
4. The Perpetual Lie
5. Dead Paradise
6. Impios (instrumental)


Banda:


André Costa - Baixo, vocais
Tarcísio Correia - Guitarras
Mauricio Sousa - Guitarras
Márlon Pacheco - Bateria


Ficha Técnica:

Suffocation of Soul - Produção
Breno Fernandes - Produção, mixagem, masterização
Thiago Pereira - Mixagem, masterização
Fernando JFL - Arte da capa
Marlon Pacheco - Arte do encarte


Contatos:


Texto: M. Garcia


Vivemos uma época em que os downloads ilegais causam problemas às vendas de discos, e em que bangers se omitem em presenciar shows no cenário underground, sem falarmos de todas as vicissitudes normais de um país de terceiro mundo (divido em todos os sentidos). Podemos dizer que lançar discos ainda é algo para quem tem peito, coragem de encarar desafios bem encardidos. Mas ainda existem aqueles que possuem muito a dizer, não aceitam esses fatores, e lutam contra o fluxo das coisas. Nesse ponto, o quarteto SUFFOCATION OF SOUL, de Poções (BA), é um autêntico sobrevivente, remando contra a maré com braçadas vigorosas, e soltam mais uma obra deles, o EP “Macabre Sentence”.

Com mais de dez anos de muita luta no underground, o quarteto destila um Thrash Metal à moda antiga, cheio de energia e muito agressivo, embora moldado com boas melodias. Óbvio que influências de nomes como SLAYER, DESTRUCTION e KREATOR (na época mais seminal deles, basicamente entre os dois ou três primeiros discos de cada) são claras, mas eles têm muita personalidade, criando algo deles. Ou seja, pegaram o que é velho, deram uma repaginada ao jeito deles, e nos oferecem um trabalho musical ótimo.

Sim, “Macabre Sentence” é um disco e tanto!

Óbvio que uma produção independente como a deles não vai ter uma superprodução em termos de som. Pelo que ouvimos, essa crueza é algo espontâneo, faz parte da música deles, mas sem que a nossa audição do EP seja prejudicada. Esse som rude tem origem nos tons instrumentais que eles usam, buscando algo mais próximo possível do ao vivo, e com um bom nível de clareza. E ficou muito boa dessa forma, embora pudesse ser melhor.

A arte da capa é bem simples, direta e reta ao ponto. E transparece a energia musical do quarteto, algo bem singular.

Quando falamos da música, podemos dizer que estes 10 anos de experiência faz do SUFFOCATION OF SOULS um dos melhores grupos do estilo no Brasil, sabendo usar de uma técnica musical muito boa, excelentes mudanças de ritmo, e arranjos musicais de primeira para criar algo realmente agressivo e doentio, mas de muito bom gosto.

O EP abre com o caos de “Crimes Behind the Influence”, uma bela mostra de técnica e agressividade aliadas ao bom gosto, com uma energia absurda e boas mudanças de andamento (e um trabalho ótimo de baixo e bateria), seguida de mesmos elementos da envolvente “Lifeinvader” (onde as guitarras estão fantásticas, em riffs destruidores e solos muito bem feitos). Em uma velocidade alta e alguns toques de HC Old School, temos “We Live in Pandemonium”, com um refrão bem marcante, e vocais insanos. Outra com velocidade bem elevada e algo de Crossover é “Dead Paradise”, onde a energia vai nas alturas e a incitação ao slamdancing é certa. Bem mais técnica é a instrumental “Ímpios”, bem espontânea aos ouvidos, e se percebe alguns toques de MOTORHEAD no trabalho deles (e que solos de guitarras ótimos).

Agora, em um parágrafo só para a longa e muito bem burilada “The Perpetual Lie” mostra não só o lado mais bruto do grupo, mas também uma estética melodiosa de primeira, algo diferente de 90% das bandas que pensam que Thrash Metal é sentar paletadas à velocidade nas guitarras e está tudo bom (e não é). Óbvio que ela possui momentos mais velozes (a alternância entre essas passagens é a alma da música), mas como um todo é uma canção que nos mostra o quanto o SUFFOCATION OF SOULS está entre os melhores nomes do estilo no Brasil por ser criativo, sem medo de fazer o que lhes dá na cabeça.

Se você ficou de luto pelo fim do VIOLATOR, eis um nome para não só ocupar o lugar deles, mas superá-los.

Ah, você duvida, não é?

Ouça “Macabre Sentence”, seja sincero consigo mesmo, e terá uma ótima surpresa.

Nota: 88%